Problemas de desempenho afetam smartphones com Snapdragon 820 e Android 7.0

0
46

Após o update para o Nougat, usuários do Moto Z, da Lenovo, e do Xperia XZ, da Sony, tem relatado que, aparentemente, os núcleos de performance do Snapdragon 820 teriam entrado em hibernação, comprometendo o desempenho geral dos dois smartphones. O problema, inicialmente relatado por usuários do Moto Z, ganhou mais espaço, e a empresa ainda não se pronunciou sobre o caso. Também há relatos desse acontecimento no Xiaomi Mi5, em testes da versão da MIUI com o Android 7.0.

Por outro lado, donos do OnePlus 3, que receberam o update para o Nougat na virada do ano, não sofrem deste mal, mesmo utilizando a mesma compilação do kernel onde, em teoria, estaria a limitação. Com a ajuda do Fábio Moura, do Brasiligeeks, do Jo Valdez e do publicitário Renatho Siqueira, usuários, respectivamente, do Xperia XZ, Moto Z e OnePlus 3, podemos ter chegado num culpado: a versão do AOSP utilizada para compilar o sistema.

Problema. (Foto: Lucas Silva)

Os três aparelhos possuem o mesmo processador, o Qualcomm Snapdragon 820. Com isso, todos eles utilizam a mesma versão de base do kernel, a 3.18.31. Não sendo, portanto, uma configuração padrão para o processador. Sony e Motorola tomam por base de todo o seu sistema na AOSP, mantendo boa parte do seu código-fonte intacto, enquanto a OnePlus, mesmo com poucas alterações visíveis na OxygenOS, costuma alterar a AOSP, acrescentando seus recursos de maneira integrada ao sistema.

820
XPERIA XZ com os dois núcleos de alta potência desabilitados. (foto: Fábio Moura/Brasiligeeks)

A teoria é simples: a OnePlus percebeu o problema na compilação do Android e buscou corrigi-la, o que justifica o suposto atraso no lançamento final do update pela empresa. Já a Sony, também buscou corrigir o problema, por meio de um update que começou a ser liberado no último dia 02 de janeiro, mas ainda não havia chegado no Xperia XZ de onde retiramos a informação. A versão compilada que apresenta o problema, de build 39.2.A.0.361, foi a primeira versão do Android 7.0 disponibilizado pela empresa.

Questionamos a Moto sobre o problema e, segundo a empresa, “todos os núcleos estão funcionando normalmente, conforme conforme a demanda por processamento e sem diferenças com a versão anterior”. A ausência da leitura, no entanto, foi comprovada após a última atualização, após, segundo a empresa, serem “introduzidas algumas medidas de segurança mais rigorosas, o que fez com que aplicativos que fazem a leitura do estado dos núcleos não tenham mais acesso total a estas informações de forma contínua, resultando na exibição de dados incorretos sobre o estado de funcionamento do processador”. A empresa já está trabalhando em uma correção que permitirá a estes aplicativos obterem as informações reais sobre o estado da CPU e frequências de funcionamento.

O perfil da linha Moto, ainda quando Motorola, consistia em updates rápidos, mas que normalmente herdavam as falhas do Android Puro. A solução deve chegar apenas com o próximo update da empresa.