Operações Brasileiras: e a VAIO, hein?

0
189

Em 2015, a Positivo fez o que muita gente não esperava: fez a marca VAIO retornar ao Brasil. Depois de anos sob as asas da Sony, a japonesa, agora independente, fechou uma parceria com a empresa brasileira, e trouxe um portfólio de produtos relativamente bom para o mercado. Porém, notava-se o preço alto frente ao mercado flutuante de notebooks e computadores. O modelo mais caro – o VAIO Z – passava dos nove mil reais.

Em 2016, a VAIO continuou com o portfólio da linha 2015. A crise econômica – que afetou iniciantes e até fabricantes já estabilizadas – parece não ter afetado a parceria entre a Positivo e a japonesa, que trabalha num segmento maior frente aos concorrentes. Parece que cobrar mais fez a diferença no final das contas. O fato é que a VAIO está querendo mais algumas mudanças por aqui.

Conversei por e-mail com a Daniela Colin, que é Diretora de Procurement e Desenvolvimento de Produto. Ela me respondeu alguns questionamentos muito pertinentes à operação da VAIO em solo brasileiro. A representação nacional é toda feita em conjunto com a Positivo, incluindo suporte, assessoria de imprensa, distribuição, montagem e etc.

Update de criação e novo portfólio

A primeira pergunta pertinente se refere ao Creator’s Update do Windows 10, que permite um uso ainda maior de canetas Stylus. Não por acaso, o Vaio Z também possui uma Stylus em seu kit. Daniela afirma que o Vaio Z, com processador Core i5, já está otimizado para o Windows 10 (e, consequentemente, para o update de criação), facilitando o uso em ferramentas de criatividade.

Daniela também aproveita para ser categórica com relação ao portfólio. Na íntegra:

” […] estamos sempre em contato e estudando a possibilidade de trazermos mais novidades para os consumidores que apreciam a marca. É possível que ampliemos o portfólio nos próximos meses.”

A VAIO em 2017 e a recepção em 2015

Perguntei à Daniela qual a principal tarefa da VAIO em 2017. Ela afirma que, em 2015, a receptividade dos produtos VAIO pelo varejo foi excelente. A perspectiva é de otimismo: Daniela afirma que, neste ano, a VAIO e a Positivo irão atuar para driblar o atual cenário econômico para aumentar a presença no Brasil e na América Latina, com grande animação.

A recepção dos produtos pelos consumidores é descrita pela diretora com otimismo:

“O público brasileiro é muito receptivo à marca VAIO. Desde o anúncio de sua volta ao mercado local, sentimos uma grande acolhida por parte dos varejistas e do público em geral, que reconhece em VAIO produtos de qualidade superior no universo Windows.”

Preços… e dificuldades?

O principal aspecto que não pode ser esquecido é o preço. Em 2015, os preços dos notebooks VAIO ficaram acima da média de mercado. Segundo a executiva, a VAIO segue parceria com a Positivo, e a parceria é movida por um entusiasmo na referência para os usuários Windows. Ainda complementando, a VAIO pode falar apenas sobre a atuação no Brasil, por questões contratuais.

Sobre quedas de preço, Daniela dá o benefício da dúvida: quedas de preço são difíceis de prever. Porém, a executiva afirma que, com a retomada do crescimento econômico e com a queda no câmbio em ritmo contínuo,  a situação para a indústria de eletroeletrônicos pode vir a melhorar cada vez mais.